Translate

segunda-feira, 9 de março de 2009



Minha Sombra
J. Norinaldo

Ontem conversei com minha sombra,
Sobressaltei-me com o rumo da conversa.
O individualismo que assola a humanidade,
A extinção do abraço, da prosa e da amizade,
Está tornando a humanidade mais perversa.
Sem nada disso, como haver amor e fraternidade?

Minha sombra aproveitou para reclamar.
Que não se veste de acordo com a moda atual,
Não freqüenta nenhum lugar badalado,
E que ultimamente anda muito individual.
Que já foi uma sombra bem mais aprumada,
E hoje anda encurvada como a sombra de um cajado.

Foi uma conversa bem aberta e cordial.
Minha sombra me confessou também seus medos:
Antigamente falávamos normalmente com a boca,
E atualmente conversamos só com os dedos.
Uma coisa importante que aprendi com minha sombra,
Como estas sabem guardar bem nossos segredos.

Sombra não tem sombra assim bem podemos ver.
Não precisa da árvore a sombra para descansar,
Também não tem sombra um verdadeiro ser de luz,
Como aquele que veio nos trazer ensinamentos,
Que humilhamos e arrastamos na via sacra,
No monte da caveira, se viu apenas a sombra de uma cruz.

1 comentário:

S. L. Lima disse...

adorei. mais uma vez é um orgulho tê-lo na minha lista proxima de amigos.
bjs e sucessos que vc merece.