Translate

segunda-feira, 19 de julho de 2010


Duvidar.
J. Norinaldo

Duvidar de Deus não me torna um sábio,
Nenhum alfarrábio me trouxe a verdade,
Que o amor existe todo mundo sabe,
E que a ninguém cabe a infelicidade;
Mas está escrito no livro da vida...
Que quem planta vento colhe tempestade.

Quem cava um poço em busca de água,
Quando mais se tira mais fundo ele fica,
E quanto mais fundo, mais água se tem.
E assim acontece com o amor também,
Quanto mais se dá mais ele frutifica,
E o poço do amor muita água tem.

Já me perguntaram se eu sou feliz,
O que respondi já não sei dizer,
Pois eu nunca vi a felicidade;
Se por onde passa deixa algum rastro,
Mas há um ditado talvez a verdade...
Um ser infeliz é uma nau sem mastro.

Quem na vida vive sempre a deriva,
Do amor se priva por pura opção,
No fim do caminho quando olhar pra trás,
Querendo voltar já não pode mais;
O vento lhe empurra noutra direção.
Não terá ninguém para despedida...
Nem suas pegadas ficarão no chão.


2 comentários:

Lourival Rodrigues dos Santos disse...

Amigo a temperatura na minha região anda baixa mas a sua inspiração está em níveis altíssimos, não posso duvidar, bela poesia. Abraços e saúde.

José disse...

O amor é a esperança de nossas vidas. Parabéns amigo. Aquele camuflado tolhia sua inspiração.