Translate

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011



O Caminho.
J. Norinaldo.


A proa do barco sem destino,
O vento que a vela estraçalha,
A vaga que se agita na procela,
O caminhar sobre o fio da navalha,
A chama que crema na fornalha,
São belas pintadas numa tela.

As chamas das velas que se apagam,
E que sedem o seu lugar as flores,
E os lábios que já não beijam mais,
Deixando a vida e os amores;
São telas vistas da frente pra trás...
Pintadas com as tintas das dores.

A tela mais triste e preciosa,
É de alguém cravejado numa cruz,
Que se usa no peito como adorno;
Feita de ouro que engana e que seduz,
Se todos os caminhos levam a Roma...
Levarão ao céu a quem ama a Jesus.

2 comentários:

emerson disse...

Ola senhor Norinaldo, lendo suas poesias viajo um pouco nos caminhos que ja trilhei, caminhos esse as veses tão dificeis, mas que sempre valeram apena pois se chegamos até aqui é porque existe um SER supremo que nos quia e nos da força para continuar. A pouco conheci sua pessoa ,para mim isso e´um dos sinais positivos da vida, tenho muito prazer em trocar ideias com pessoas como o senhor. Um forte abraço... Emerson Barreto...

valda disse...

ola mestre,dos mestres.suas poesias é o meu calmante do dia,dia confesso que naqueles dias stressantes busco cada mes,e ano algo que me alegre encontro aqui em seu site.obrigado por fazer nossos dias mais felizes.beijos.vau