Translate

terça-feira, 1 de novembro de 2011


Falei das Flores.

J. Norinaldo.

Meus poemas são pus temas de feridas que não saram, são os gritos que calaram a alma que hoje grita, pelos cravos nos pulsos do inocente, pela mãe que hoje grita pelo filho dependente. O poeta não é só um menestrel, que tenta cobrir com mel a lepra do indigente. Meus poemas também falam de dilemas, não somente nas cores do arrebol, mas de mendigos que não tem para onde ir depois de um lindo por do sol. Meus poemas falam em leitos terminais e em gemidos de dor, prefiro não ser poeta a falar sempre de amor, Sentindo tremor e frio, aqui num quarto vazio passageiro do pavor. Para não esquecer as flores e falar somente em dor, amanhã é feriado, lembra é dia de finado, levarei rosas para o meu grande amor.

1 comentário:

___Stela Emilia Gusmão_____________________________ disse...

Bravo poeta, e que continue gritando a alma por esses versos, um abraço J.Norinaldo.