Translate

segunda-feira, 14 de outubro de 2013



  • Quem Sabe algum dia Quando o Trem voltar.
    J. Norinaldo.


    Cheguei atrasado lá na estação, já não tem mais trem, não tinha ninguém para me atender, tirei os sapatos que alguem havia me dado, um troço apertado como uma tortura, joguei para um lado, com os pés descalço voltei pra estrada pensando na vida e na minha lonjura; sentindo de novo o frio da areia me desenhando os pés sem sapato ou meia esquecendo o longe para onde ia, quem sabe algum quando o trem voltar, porém até lá nada de sapato, aqui pelo mato não há precisão vou de pé no chão pra qualquer lugar. Eu assim descalço pisando no chão me dar a certeza, como o velho angico lá do meu oitão, que fazemos parte da natureza; não vamos daqui embora por somos feliz, eu por que amo esse chão e ele por que tem raiz. Aqui sou feliz com os pés sentindo o frio do chão e a mulher não sabe o que é sapato alto, tirar um espinho é como um carinho, não queimamos os pés no calor do asfalto, aqui vejo o céu sem faltar pedaço com os pés descalço pra lá e pra cá, quem sabe um dia agente vá embora.Quem sabe algum dia quando trem voltar

3 comentários:

RosanE Apenas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RosanE Apenas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RosanE Apenas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.