Translate

sábado, 5 de junho de 2010


Dia do Meio Ambiente.
J. Norinaldo.

O meio ambiente ingrediente do meio,
Entre o homem e o lixo entre o belo e o feio,
O homem agride o ambiente em que vive,
Por que somente vive não sabe a que veio,
A terra é a mãe que lhes dar a vida,
Mas ele revida mordendo seu seio.

Ah! Quanta beleza para ser destruída,
Ah! Quanta madeira para ser derrubada,
Ah! Quanta água para ser poluída,
Quanta natureza a ser desequilibrada,
Ah! Quanto veneno há na minha mesa,
Ah! Quanta luz para ser apagada.

Enquanto a vida na terra é ceifada,
Na guerra de dor no forno da ira,
O homem buscando um planeta melhor,
Deixando a terra um molambo de tira,
De longe ainda vista de azul cintilante,
Como um diamante que no lixo se atira.

Hoje é o dia do meio ambiente,
Qual é o presente que a terra recebe?
Mais lixo nos rios artérias do mundo,
Nos cochos imundos em que o homem bebe,
Matando a si mesmo em prol de riqueza...
Com tanta beleza, mas ele nem percebe.

2 comentários:

Lourival disse...

É... estive hoje no porto da cidade,

Lourival disse...

linda Corumbá, margem direita do "nilo brasileiro"(voce conhece bem o rio Paraguai), a natureza está exuberante. Muita gente p´ra lá e p´ra cá, muita embarcação esportiva navegando. Isso tudo em nome da semana do meio ambiente. Voce, amigo velho, oportunamente tráz essa poesia ao encontro da nossa conscientização,essa é a palavra chave: CONSCIENTIZAÇÃO. Em Alma e Poesia voce trouxe nos seus versos suaves, mas firmes, o seu presente ao planeta Terra. Aplaudo em pé: plá, plá, plá... sucesso amigão.