Translate

domingo, 23 de outubro de 2011


Como se Fossem Pérolas.

J. Norinaldo.


Como se fosse pérola me fiz ao mar,

A ti buscar como se fosses ostra,

Sem sons de búzios a me orientar,

Para em teu ventre me fecundar,

E enfeitar teu colo num lindo colar.


Ao rasgar a fúria da onda espumante,

Como o navegante que vence a procela,

Longe da areia me enroscando em algas,

Que dançam se embalando em vagas,

Ou as águas vivas num doce bailar.


Como conchas livres dentre os sargaços,

Buscando teus braços pra não naufragar,

Como uma pérola em busca de um regaço,

E tu fosses uma ostra a me resgatar...

Pra enfeitar teu colo num lindo colar.


Em teu colo, o vale de túmidos montes,

Deslizo meus lábios macios a te acariciar,

Como se fossem ondas ao sabor do vento,

Sentindo o gostinho desse teu suor,

Colado aos teus seios... Como se fossem pérolas.

2 comentários:

___Stela Emilia Gusmão_____________________________ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
___Stela Emilia Gusmão_____________________________ disse...

J. Norinaldo, assim essas palavras escorrem por esses versos ondulados de sentimento.
Gostei bastante do seu blog poeta, abraço